quinta-feira, 30 de julho de 2015

Um dia fantástico no Jardim Zoológico de Lisboa

Porque há imagens que dizem tudo e dispensam quaisquer comentários, penso que não vale a pena dizer muito, as fotografias falam por si...

Escolhi as melhores fotos das centenas que tirei, as que para mim são as mais especiais, pela energia e emoções que transmitem.

Se por um lado considerava que estes animais deveriam andar livres pelos seus respetivos habitats, por outro, a assistir hoje a uma notícia sobre caça de elefantes e rinocerontes, sinto que atualmente, em meio a nossa selvagem sociedade, os animais devem estar mais seguros em espaços como este...




Girafa


hipopotamo

elefante

cisne


macaco

mamífero

piscina zoo

golfinhos

piscina zoo

macaco

macaco

urso

urso

terça-feira, 28 de julho de 2015

Mergulho


Não me perguntem o que sinto. 
Sinto-me.
E isso já é o bastante. 
Porque sinto toda a minha essência.
E o peso dela. 
Cada vértebra. Cada articulação.
E o sangue que me corre. 
Pulsando quente. Ávido.
Sinto-me em demasia.
E ao mesmo tempo essa sensação transcende-me para um espaço distante de mim.
Mergulho. Na própria essência...

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Criando um Closet

Criar um closet não dá assim tanto trabalho como se imagina. 


Fazer uma parede falsa em gesso cartonado não tem nada que saber. 
É parafusar as calhas de alumínio ao chão, parede e teto e de seguida parafusar as 
placas de gesso às calhas. Passar massa de acabamento nos orifícios dos parafusos 
e nas extremidades da parede. 
E voilà!

como fazer um closet


Os móveis foram super em conta, apenas 35€ cada módulo no IKEA, 
e para o efeito que pretendia foi a escolha mais acertada. 

Os varões foram aproveitados do antigo guarda-roupa.
Foi só medir e aparafusar na parede e num dos módulos.



papel de parede onça


Aqui apliquei um papel de parede porque só pintar não daria 
tanto impacto como eu pretendia. 


como fazer um closet


Os cortinados de franja foram comprados no Leroy Merlin...


Tela com papel de parede


Para conseguir fazer uma conexão com a decoração que já existia no quarto
 decidi comprar uma tela e forrar com o mesmo papel de parede para 
conjugar com as telas que já tinha penduradas.


Tela com papel de parede

terça-feira, 21 de julho de 2015

Pablo Pereira # Do Caos # Chiado Editora


Este sábado (18/07), tive o prazer de poder prestigiar na livraria Desassossego a uma sessão de autógrafos do escritor Pablo Pereira, autor brasileiro convidado pela Editora Chiado para a publicação, em Portugal, de um dos seus livros, intitulado "Do Caos".


pablo pereira


Pablo Pereira foi na verdade meu professor de português no Brasil e considero-o um revolucionário a nível de ensino, dado que teve a coragem e a ousadia necessárias para abdicar da gramática, ao mesmo tempo, sem prescindir dela. Isto porque como professor lecionou português incitando à escrita diária como método de ensino. Pela sua humildade, pelo seu carisma e pela sua espontânea sabedoria, conseguiu provocar a todos a paixão pela escrita e pela literatura.


Pablo Pereira


E foi assim que o meu bichinho pela escrita começou a fervilhar... 

E é por isso que possuo tamanha admiração pelo Pablo - escritor e Pessoa.
 E claro não poderia não ter estado presente depois de todas as voltas que a vida deu.


Pablo Pereira

Para quem quiser conhecer um pouco mais sobre este escritor, que teve no Brasil esgotadas todas as edições publicadas, poderá acessar o site:

domingo, 19 de julho de 2015

Sou múltipla


Sou múltipla.
Em complexidades.
Complexos?
Nem o de ser várias,
Reconheço-me em cada uma.
Tenho demasiadas formas,
Demasiadas vertentes psíquicas.
Sinto. Cada complexo ser em mim,
Cada energia. E anulo.
Cada interferência externa que intenta
qualquer tipo de convergência vã.
Da razão, apenas a loucura.
E da loucura, complexas sensações
e pensamentos.
Conversas entre egos.
Multiplicidades adjacentes...

sexta-feira, 17 de julho de 2015

Obras para quê te quero?!

Quando pensamos na idéia de fazermos obras em casa tudo parece fantástico. Passamos os dias a imaginar os materiais e as cores a utilizar. Mas depois de colocadas algumas idéias em prática. Não vemos a hora que tudo termine. Porque a imaginação. De fantástica transformou-se em pó.

Em todas as casas em que vivi fiz obras. Posso dizer que tenho bastante experiência comparativamente a muitas mulheres sem jeito nenhum nem para trabalhos manuais. Mas confesso. Neste momento. Invejo todas elas. As que nunca ousaram decorar ou transformar nada em casa. Seja por falta de jeito. Seja porque a condição financeira lhes permitiu pagar alguém que o fizesse.

Um conselho que vos dou. Nunca façam transformações em casa em processo de encadeamento.

Cá em casa só precisávamos de um colchão novo. E isto apenas porque o nosso já muito velhinho e contorcido fazia-nos doer as costas. Quando pensei em comprarmos um novo olhei para a cama. E considerei que uma vez que rangia por todos os lados o melhor era comprar um sommier. Bem. Quando fomos à loja o meu marido perguntou-me se não era melhor comprarmos já o jogo de quarto completo. Porque fazermos um crédito apenas para a cama e o colchão nos faria postergar a idéia de trocarmos os móveis do quarto. Por acaso vimos na mesma loja um quarto lindo de morrer. Daqueles que não deixam dúvidas. Se pudesse levava-o. E como o crédito até era sem juros. Decidimos levar. Encomendamos tudo. Dali a vinte dias chegavam os móveis.

Quando chegamos a casa olhei para o chão do quarto. Completamente desgastado. Em parquet. E pensei. Se metemos aqui móveis novos nunca mais trocamos este chão. E no dia seguinte perguntei ao meu marido. Amor. E se trocássemos o chão dos quartos antes de trocarmos os móveis? Conversa vai e conversa vem. O marido foi pesquisar à net como se coloca o soalho. E colocou. Na casa toda. E depois decidimos que soalho flutuante com os lambrins de azulejo no corredor para além de frio não combinavam. E ao invés de retirarmos como sugeri. O marido resolveu colocar gesso cartonado a cobrir todas as paredes. E a visão do inferno começou aí. Massa de gesso aqui. Massa de gesso ali. Deixa secar. Lixa. Cobre falhas. Deixa secar. Lixa. E ainda cá estou nessa árdua tarefa. De acabamentos sem fim. A que o meu marido não leva jeito nenhum. Porque os detalhes para a maior parte dos homens passam despercebido.

Tínhamos comprado as tintas para pintar o corredor. Mas amanhã vou a correr escolher um papel de parede que cubra todas as imperfeições. Porque já não aguento mais.

Ficam aqui duas imagens do que vou transformar…





















O guarda roupa do corredor e os contadores do hall de entrada. Para além de levarem com tinta vão levar com algum papel de parede nas portas e no interior.




terça-feira, 14 de julho de 2015

Brincos usados pela Rita Pereira

http://www.ebay.com/itm/Dangle-Eardrop-Oreille-Boucles-Doreilles-Bijoux-Hot-Mode-Crystal-Strass-Femmes-/381121736735?pt=LH_DefaultDomain_71&var=&hash=item58bca0301f

Estes brincos são muito semelhantes aos que a atriz Rita Pereira usou num dos episódios desta semana na telenovela A Única Mulher, os dela eram verde esmeralda, mas o feitio parece-me idêntico a estes... Acho lindos, não por terem aparecido na televisão, porque não ligo nada a isso.. Simplesmente gosto :-)


Já chegaram!! Tão lindos que são! Gostam?

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Alerta! Quando a oferta é demais qualquer santo desconfia!

O post de hoje é um alerta para quem está a procura de emprego e tem enviado currículos...
Recentemente recebi resposta de uma empresa entitulada West Union Group, uma oferta com um ordenado bastante aliciante para os tempos que correm. Pelo pelo menos em Portugal. Mas esta é uma empresa que opera a nível mundial. E pelas pesquisas que fiz de facto opera a nível de consultoria financeira, no entanto, o seu procedimento passa por transferir dinheiro para os "empregados" de forma a que os mesmos finalizem as transferências para paraísos fiscais.

Deixo-vos aqui uma cópia do e-mail, e alerto-vos para que tenham cuidado com ofertas "boas demais". Eu sou de Portugal, mas esta empresa efetua este tipo de "recrutamento" em vários outros países.

"boa tarde Sra., 

empresa com larga experiência no mercado internacional especializada no setor de consultoria financeira e formação de empresas no exterior, pretende recrutar Assistente de BackOffice a part-time ou full-time para integrar a nossa equipa.
Durante o primeiro mês, o trabalho será realizado remotamente - enviamos alguns tarefas de teste para garantir a competência do candidato. Em seguida, assinamos um contrato de trabalho por um período de seis meses entre a empresa e o candidato. Local de trabalho sera anunciado mais tarde, dentro de dois meses, como a empresa está a procurar um lugar apropriado e está a registar os documentos necessários para a abertura do escritório. 




Candidato/a ideal terá:
- Experiência na área administrativa (preferencial); 
- Experiência em expediente geral; 
- Bons conhecimentos de informática (Excel, internet,etc); 
- Boa capacidade de comunicação; 
- Confiabilidade e pontualidade; 
- Conhecimentos linguísticos; 
- Disponibilidade imediata. 



 Objectivos: 
- Desempenho de tarefas administrativas; 
- Executa o conjunto de tarefas para as funções de configuração/manutenção de projecto; 
- Acompanhamento de pedidos pendentes relacionados com a facturação/projecto/contratos. 


Oferecemos: 
Base 1000 € (full time) ou 600 € (part-time) + comissões de operações financeiras (aprox.300€);
Integração em grupo internacional; 
Formação inicial e continua; 
Bom ambiente de trabalho. 





Com os melhores cumprimentos, 



DEPARTAMENTO ADMINISTRATIVO 
+442032892488 
Barbara Finn 
www.westuniongroup.com"

domingo, 12 de julho de 2015

Roll-on para os olhos

roll-on para os olhos
Este roll-on da Nívea é tudo de bom para as olheiras, marcas de expressão, olhar cansado...

Nunca tive olheiras e há uns meses atrás comecei a ficar com uns grande "papos" em baixo dos olhos...

Até que uma amiga minha falou-me neste rolll-on...e realmente os nossos olhos precisam de um cuidado especial, por terem a pele mais sensível... Sinto uma diferença enorme... até mesmo nas rugas de expressão, atenuaram bastante...

sábado, 11 de julho de 2015

Penso pobre. Logo existo. Pobre.





Somos educados para sermos pequenos. Pequenos e Pobres. De espírito e dinheiro. Somos educados para sermos estreitos. A só pensarmos em linhas retas. Porque andar aos ziguezagues não é seguro. Aprendemos que a porra da estabilidade está na constância. No hábito. E somos direcionados a seguir em frente. Sem olhar para os lados. Porque não há nada que nos deva dispersar. E perdemos. Com tudo o que ignoramos pelo caminho. Com todas as mudanças possíveis. Porque somos seres em constante mutação.

Somos educados para não querermos demasiado. A contentarmo-nos com o que temos. Porque é feio. Ser-se ambicioso. Somos educados para sermos mais ou menos. Porque é suficiente sermos meio-termo de algo razoável. E é feio. Ser-se o melhor. Somos educados para não lutarmos até ao último suor e glória. Porque é feio. Ser-se competitivo.

O nosso percurso é fadado a um ligeiro fracasso. Não somos os melhores. E não podemos sê-lo. Não fomos educados para isso. Fomos educados para sermos humildes. Não somos direcionados para termos sucesso. Porque isso é dos arrogantes. E assim não empreendemos. Porque não nos ensinaram a voar.

Crescemos. Com a sensação de incapazes. Com um potencial que ocultamente fervilha. Impulsiona-se. E retrai-se. E acreditamos fortemente que é demasiada pretensão querermos mais. Esquecemos rapidamente. A pretensão. Ainda somos pequenos.

Deveriam motivar-nos a andar nas montanhas russas. E darem-nos o empurrão nos escorregas mais altos. Deveriam motivar-nos a enfrentar os medos. Ao contrário. Paralisam-nos. Mostram-nos o chão. A segurança. A puta da estabilidade. Era suposto dizerem-nos que somos capazes. Que conseguimos o que quisermos. Retirarem-nos os medos. Tornarem-nos fortes. Ensinarem-nos que só os melhores se destacam. E só os que se destacam podem escolher. Motivarem-nos a voar.

Porra! Que se foda a arrogância de querer ser o melhor entre os melhores. E de  querer ter o melhor dos mundos. Feio é ser miserável de espírito. Sentir-se incapaz. Fraco. Pequeno em demasia. Só conseguimos transformar se formos grandes. Só conseguimos expandir se nos sentirmos grandes.





sexta-feira, 10 de julho de 2015

Biquinis Brasileiros


 Lindos, lindos, lindos...
Andava à procura de biquinis diferentes e ora aqui estão...sou obrigada a comprar :-)
Definitivamente só não tem roupas giras quem não quer... comprar online :-)

Só 10€.........espreita só! E diz-me qual escolho.... ;-p






http://www.ebay.com/itm/2-PIECE-Women-Push-up-Bikini-Set-Padded-Bra-Triangle-Swimsuit-Swimwear-Bathing-/311382169758?tfrom=311382110264&tpos=top&ttype=price&talgo=undefined

quinta-feira, 9 de julho de 2015

Sou mais macho que muito homem






Não há dúvidas. Por vezes. Mesmo com saltos altos. É preciso mostrar-se superioridade para além da altura. É preciso expor-se algumas entranhas. Ser-se voraz. Ser-se visceral. Ter-se tomates. Dizer porra. Caralho. E foda-se. E fuder. Isso de que as mulheres fazem amor e não dizem asneiras é algo demasiado ultrapassado para os meus genes. E os meus genes respiram testosterona. E eu continuo a usar saltos altos. Digo palavrões. E quando não digo crio armas mentais. Pistolas. Facas. Objetos de arremesso. E mato. Mentalmente mato. Faço amor quando quero. Quando quero fodo. E quando não quero não fodo. E da mesma forma que os homens querem o êxtase. Eu o tenho.

Não sou puta. Nem desbocada. Não desço do salto. E nem etilicamente me perco. Nem com cachaça. Expiro classe. Mas não há nada que me choque. E não há nada que eu não possa. Nada que eu não possa que os homens possam. Não me chocam os arrotos. Nem os gases indissipáveis de uma feijoada indigesta. Não me chocam as imagens de gajas nuas. Nem as punhetas noturnas. Choca-me o despropósito. A troco de nada. Por qualquer coisa. E só porque sim. Choca-me a certeza no cagar. Sem certeza alguma. Só porque o ego diz que sim. Esse filho da puta do ego.

Tenho mais tomates que muito homem. Digo o que penso e o que quero. Porque não gosto de cozinhar. Nem mentalmente cozinho. Não gosto de tapinhas nas costas. O que é. É. Não gosto de vítimas. Não me faço de vítima. E portanto. Só me engolem se quiserem. Porque eu não engulo. Nem sapos. Nem gente. Muito raramente finjo. Que engulo. Mas depois cuspo. E não gosto de passar a ferro. Mas também não me passem. Não me passem a ferro os assuntos. Não se escondam. Mandem-me “pó” caralho quando tiver de ser. Se tiver de ser. Que eu não sou boneca. Mas não me fodam. Não sem me darem prazer.