quinta-feira, 3 de setembro de 2015

#012 Deixa-me


Deixa-me. Deixa-me ser criança. Nao quero crescer. Nem em tamanho. Nem em espírito. Já sou suficientemente grande. O bastante. Para saber o que sou e o que sinto. E só o que me importa é ser. Deixar-me ser. E sentir. Por isso deixa-me. Que esse mundo em que vives já nao é para mim. Esse mundo em que vives suga-me o que há de melhor em mim. Entao deixa-me ser criança mais um pouco. Prometo que só vai demorar uma vida inteira. Mas só uma.