quarta-feira, 9 de setembro de 2015

#013 Arrisco


E se antes o sensato era não arriscar, 
e se todas as condicionantes eram ponderadas e faziam-me jogar pelo seguro.
Hoje arrisco ser insensata.
E pondero que viver só possui essa alternativa.
Porque ao contrário disso, ponderar em demasia é morrer.
E jogar pelo seguro uma inconsequência de todo o tamanho.