sexta-feira, 30 de setembro de 2016

O que não vestir

A falta de bom senso no mundo fashion


Não sou entendida em moda. Não sei o que é preciso para alcançar um nível top de expertise. A mim basta-me o bom senso. Há regras básicas que a minha consciência considera uma obrigação respeitar. E o meu espelho emite um sinal de alerta. Não, não, não. Isso não. Não sais assim à rua. Nem penses. Pronto. É esse o meu entendimento de "High Fashion". E tenho a dizer-vos. Funciona muito bem. 

Também gosto de observar o que as pessoas vestem. Mas não. Não sou daquelas que tece tapetes de críticas mentais e passa a vida a comentar com as amigas - Olha-me para aquilo! A não ser que... A não ser que seja algo muito chocante. Mas nesses casos o meu olhar perplexo diz tudo o que a minha boca não precisa, de todo, dizer. 

Enfim, gosto apenas de ver como determinadas peças de roupa e determinadas cores que eu nunca ousaria misturar, afinal funcionam. E claro. Que há combinações que nem na memória é bom guardar. E é assim que acabo por ousar outras misturas, outras cores e estilos.

Dito isto, não consigo perceber o porquê de a alta costura ousar ao extremo, para lá do bom senso. Ora vejamos...


Coleção Ann Demeulemeester, Verão 2017

E eu pergunto-vos. Really? Ousem arrancar a manga de uma das vossas camisas de chiffon. 
Ou quem sabe enrolar um tecido em um dos braços, por cima de um top sem mangas. 
Really? Isto é moda para quem? Eu digo-vos. 
Isto é moda que nem dá vontade de olhar. Quanto mais usar.


Coleção Chloé, Verão 2017

Ai. Este também é top. 
Ousem vestir uma camisola três tamanhos acima do 
vosso número, e correm o risco de serem convidadas para uma luta de rua.
A minha regra básica do bom senso quanto a moda: Nunca conjugar duas peças largas, 
para não correr o risco de ficar a parecer um saco de batata. 
Se o top é largo as calças devem ser mais justas. 
Se as calças são largas o top tem de ser mais cintado.




Uau. Chloé, também.
A modelo é o que salva o look. Nota-se que qualquer trapo lhe fica bem.
Se a saia fosse de uma única cor ou até às riscas que fosse, ainda papava.
Se eu fizesse esta combinação diriam-me que tinha comprado a roupinha na feira.
Epa e eu compro roupa em feira e nas lojas do chinês. Mas eu sei comprar.
E tenho o mínimo de bom senso a conjugar roupa.
Mas sabem aquela velha história?
Um rico a correr é desportista e um pobre a correr é ladrão?
Acho que é mais ou menos isso.
Se for uma figura pública a usar vale tudo! É fashion!
Se formos nós comuns mortais estamos um bocadinho lixadas...


Coleção Y Project - Verão 2017

Bem, isto pode sempre piorar.
Esta talvez seja uma opção para o guarda-roupa do filme as "50 Sombras de Gray".
Ou talvez não. O filme era fraquinho mas as roupas até eram bonitas.
Esta roupa não sei, estavam a tentar descobrir a sensualidade e ...
Nunca encontraram.

Coleção Y Project - Verão 2017

Isto de selecionar as piores roupas não é uma tarefa nada fácil.
É que nem imaginam.
Neste caso, não há ponta opor onde se pegue. Muito próximo a um espantalho.
Até a modelo está deprimida



Maison Margiela, Verão 2017

Really?
Se esta fosse uma roupa concebida num concurso para designers de moda,
sou capaz de ter uma ideia de que o designer que tivesse desenhado 
isto seria logo eliminado.
Então realmente não consigo perceber o motivo pelo qual a alta costura 
se dá ao trabalho de produzir este tipo de peças que efetivamente ninguém 
vai vestir. A não ser que seja num filme Madmax.